Thursday, September 9, 2010

Mat�ria do Estado de Minas: Vai Pingar?/Socializa��o na escuta



Reportagem Frederico Bottrel/Foto Cristina Horta

(Caderno de Inform�tica do Estado de Minas - 09/09/10)









O que foi anunciado como a primeira investida da Apple no cen�rio das m�dias sociais j� tem sido apontado como mais uma maneira de engordar os cofres da ma��. O Ping, servi�o de rede social integrado ao iTunes, recebeu cr�ticas severas de quem testou a ferramenta em sua primeira semana no ar. Blogs especializados, inclusive aqueles escritos por macman�acos confessos, se revoltaram com a proposta do Ping, que permite que se ou�a apenas 30 segundos das m�sicas.





Seria claramente uma estrat�gia para que o usu�rio comprasse a m�sica inteira, no pr�prio ambiente da loja do iTunes. Esse � outro aspecto que fez os cr�ticos torcerem o nariz: a Apple segue na contram�o dos servi�os em plataformas abertas na internet. O Ping funciona apenas no iTunes (e n�o simplesmente em um navegador, como qualquer outra rede social), no iPod ou no iPhone. � como se a Apple ignorasse por completo quem usa telefones Blackberry ou Android. Este modelo fechad�o da empresa j� � um cl�ssico em seus lan�amentos cheios de particularidades mercadol�gicas (iPad n�o tem USB, s� para lembrar).



Por isso, especialistas preferem a cautela � certeza de que o lan�amento da Apple ser� um sucesso. "As redes sociais se movem numa velocidade t�o grande e com estrat�gias competitivas t�o agressivas, que ser� preciso aguardar a rea��o das empresas e, principalmente, dos usu�rios. Os primeiros movimentos apontam para um certo desconforto do Facebook em rela��o � Apple e ao Ping. Por outro lado, v�nhamos acompanhando uma aproxima��o maior entre Facebook e MySpace na �ltima semana, antes do Ping. E h� quem aponte um redirecionamento do MySpace com enfoque dedicado mais ao conte�do do que � socializa��o", explica Lorena T�rcia, coordenadora do laborat�rio de converg�ncia de m�dias do Uni-BH.



No lan�amento da novidade, Steve Jobs deixou claro quem s�o os inimigos que a Apple deve atacar com o Ping: "� como uma mistura de Twitter e Facebook". A inclina��o da gigante da ma�� em dire��o �s redes sociais � ind�cio de fen�meno curioso, como detalha Lorena: "� uma movimenta��o de gigantes e nem estamos ainda falando de Google, amea�a comum a todos. A quest�o est� na import�ncia da sociabilidade na rede. N�o d� para ficar de fora".



Ela lembra, contudo, que tamanho n�o � documento na web: "A l�gica da internet � fascinante neste sentido. Novas empresas sem grandes investimentos iniciais surgem e agregam as pessoas com velocidade, como o Twitter. Ao mesmo tempo em que projetos com grande aporte de investimento e marketing como o Google Wave definham frente ao desprezo dos usu�rios.



A palavra-chave � engajamento e, neste aspecto, a Apple j� sai em vantagem. Mas, na rede, n�o basta ser grande, � preciso um charme especial que, felizmente ou infelizmente, n�o est� acompanhado de manual". Como n�o h� f�rmula pronta, resta �s gigantes correr atr�s.



Por isso a rede da Apple tem tantas semelhan�as com os dois mais bem sucedidos exemplos no cen�rio atual: � poss�vel seguir o seu artista favorito, como no Twitter.



E tamb�m d� para colecionar amigos de forma mais direta que no microblog, � maneira do Facebook. Al�m de permitir a intera��o com os artistas, o Ping facilita para que voc� fique por dentro das atualiza��es desses amigos, veja fotos e v�deos, leia coment�rios etc. Uma outra ferramenta � centrada em agenda de shows � e aqui mistura conceitos do MySpace e do Facebook, j� que � permitido confirmar presen�a nas apresenta��es e contar a seus amigos a respeito.

 

Pequenas, mas n�o peda�o

 

H� v�rias maneiras de se socializar o que se escuta, na internet. Pulverizado por meio de redes menores, o h�bito de compartilhar gostos musicais se espalha por v�rios sites sem grandes pretens�es. "Este p�blico sustenta pequenas redes focadas na qualidade e n�o no volume de ades�es", diz Lorena. S�o servi�os gratuitos com o Last.FM, o Blip.FM ou o Rate your music, que permitem que se defina um perfil musical e troque informa��es com amigos de gostos parecidos. Sites como o Myspace e o Oi Novo Som acabam caindo nas gra�as de m�sicos em busca de visibilidade. Qualquer um deles � bacana para quem quer descobrir novos sons.



"Em termos de tend�ncias, pelas pr�prias caracter�sticas da internet, penso que cada vez mais teremos m�dias sociais com foco espec�fico para que o usu�rio possa optar por aquela que mais lhe interesse. Assim como uma conex�o entre elas, para que n�o seja necess�rio acessar sites distintos para interligar essas diversas redes de relacionamento", acredita Lorena.



O Blip.FM, por exemplo, permite integra��o com outras redes, como o Twitter e o Facebook, o que � apontado como um dos principais pontos positivos da plataforma. Para descobrir o que h� de melhor em cada um dos sites de relacionamento concentrados em m�sica, o Inform�tic@ conversou com f�s confessos de cada um dos servi�os. Os sites t�m focos e ferramentas diferentes. Decida qual deles pode ter mais a ver com o seu perfil.